Marketing Esportivo

5939b2_46dae1dc06a84317bc53634b9c28cb67

No final dessa matéria, disponibilizamos as entrevistas que fizemos via-E-mail com Marcos Farber, Diretor Executivo da Farber Marketing Esportivo e José Abrão Filho, Diretor de Marketing do E.C. São Bento.

Sem sombra de dúvidas, o Marketing (MKT) Esportivo assumiu um papel importante nos Clubes de Futebol.
>
Solta a vinheta, que o assunto é de primeira!

http://www.farbermarketingesportivo.com.br/

http://www.farbermarketingesportivo.com.br

Não apenas em impulsionar as vendas dos produtos e melhorar as receitas atraindo mais investidores / parceiros, mas no sentido de acreditar que o nosso Futebol, os Clubes que são órfãos da CBF, podem sobreviver e respirar sem aparelhos, mesmo devendo horrores!

marketing esportivo refere-se à aplicação específica dos princípios e processos do marketing a produtos de esporte (times, ligas, eventos, etc.).

É uma nova área de marketing que atua dentro da indústria do esporte, movimentando bilhões em todo o mundo.

É o uso da publicidade e propaganda aplicado as peculiaridades dos esportes. Essas peculiaridades referem-se ao esporte como fonte de entretenimento, onde a paixão e a emoção estão à todo momento em jogo, possibilitando maior aceitação de possíveis ações de marketing, já que inicialmente aquele momento é de diversão.

Além disso, por muitas vezes envolver amor por uma nacionalidade, clube ou atleta, o marketing esportivo liga-se diretamente aos torcedores nos momentos de conquistas. Por outro lado, os fatores negativos que seleções, clubes ou atletas podem causar também devem ser levados em conta.

Pensar nos fatores emocionais que envolvem os consumidores de determinada marca é uma das funções do marketing esportivo. Isso porque a relação entre a marca e o consumidor, nesse mercado, não se dá simplesmente por necessidade, mas sim por paixão, desejo e emoção.

Quando alguém decide comprar uma camisa do time ou clube preferido, pode-se imaginar os fatores que o fizeram tomar tal decisão. Pense, por exemplo, na emoção que ela sente ao ter a camisa da sua equipe preferida, ir para o estádio com ela ou até mesmo de usá-la em casa com a família.

Esse item possui mais valores emocionais envolvidos do que uma camisa comum, para usar no dia a dia. E isso, para um negócio que investe em determinado time, é muito importante, pois a percepção que o torcedor tem é a de parceria.

Ou seja: ele não enxerga a marca somente como uma anunciante ou uma empresa que quer vender os seus produtos, mas como uma amiga do seu time.

Marketing Esportivo no Brasil

Com exceção da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, o marketing esportivo no Brasil ainda está longe de ser tão bem-sucedido quanto em outros países, como nos Estados Unidos.

As ações brasileiras se limitam, basicamente, em expor logomarcas de empresas em camisetas ou telões durante os eventos. Além disso, apesar de alguns esportes estarem em expensão no Brasil, ainda é o futebol, quase sozinho, quem movimenta a indústria.

No entanto, há alguns casos de sucesso que merecem destaque. Em 2012, por exemplo, a Zurich Seguros resolveu fazer uma ação de marketing em um jogo do Palmeiras e Santos, em São Paulo.

Na ocasião, ao contrário do que os torcedores estavam esperando, quem entrou no estádio foram os jogadores do São Paulo FC e do Corinthians. É óbvio que o público ficou espantado, sem entender nada.

Logo após o apito inicial, um locutor deu a seguinte explicação: ainda não inventamos seguro contra alterações no calendário. Mas você pode contar com a Zurich Seguros para cuidar dos seus bens, da sua vida e do seu futuro.

Na época, a ação foi bastante elogiada, e ainda é lembrada até hoje quando o assunto é o marketing esportivo brasileiro.

Importância do patrocínio

Uma das ações mais importantes em estratégias de marketing esportivo é o patrocínio. Afinal, fortalecer as marcas e criar um bom relacionamento com os consumidores sempre foi um dos objetivos de marketing de qualquer empresa.

E no esporte isso é ainda maior, uma vez que a relação entre consumidores e marcas é acrescentada de aspectos emocionais que podem resultar nos seguintes pontos:

  • aumentar o reconhecimento da empresa;
  • melhorar a imagem da marca;
  • alavancar as vendas;
  • fortalecer o senso de responsabilidade social do negócio;
  • tornar produtos mais fortes no mercado.

O profissional de marketing esportivo

Todo profissional quer se destacar, seja onde for que estiver trabalhando. No marketing esportivo, não é diferente, e a receita para que isso aconteça é praticamente a mesma dos outros setores:

  • antes de tudo, goste do que faz e seja dedicado;
  • estude bastante;
  • busque as melhores referências;
  • crie conteúdos de valor para o público;
  • divulgue o seu trabalho;
  • networking;

A verdade é que, quanto mais você buscar informações sobre marketing esportivo, mais coisas descobrirá. Hoje, existem várias referências de mercado, cursos e certificações que podem te ajudar a compreender melhor esse universo apaixonante do esporte.

Então, com base nos conhecimentos que adquirir, você poderá aprender a consolidar marcas e organizações, com estratégias sólidas que gerem resultados surpreendentes por meio do marketing esportivo!

(…) Para Iniciantes

marketing esportivo para iniciantes nada mais é que um conjunto de estratégias que tem por objetivo potencializar o alcance de determinada marca por meio do esporte. Para saber todos os detalhes sobre este assunto e como aprender essas estratégias, confira nosso post.

Fonte: Primeiro Negócio

No que consiste o marketing esportivo para iniciantes?

Trata-se de um curso desenvolvido para pessoas que almejam iniciar uma carreira nessa área que é bastante promissora, atuando em empresas e também com consultorias independentes.
Esse curso divido por módulos é totalmente online, dando a possibilidade de que pessoas do Brasil e de várias partes do mundo o realizem sem precisar sair de casa.

De forma bem simples, marketing esportivo consiste em utilizar o esporte como uma poderosa ferramenta de comunicação.

No entanto, por ainda ser um assunto relativamente novo, poucas pessoas sabem exatamente o que é e como utilizar essa abordagem de marketing. Por este motivo, resolvemos falar sobre isso neste post. Acompanhe!

Conceito de Marketing Esportivo

A história do marketing esportivo revela que há mais de 100 anos as marcas são vinculadas aos esportes com a finalidade de conquistar a atenção das pessoas e fazer com que elas se tornem potenciais clientes.

O poder dessa estratégia mercadológica reside no fato do esporte possuir um grande alcance mundial, conectando um grande número de pessoas por um fato muito explorado pelos profissionais de marketing: A emoção.

Quanto maior a popularidade de determinado esporte, maiores são as chances de que as grandes estrelas desse esporte conquistem os corações do público.

Aqui no Brasil, podemos citar o exemplo do Neymar, um dos maiores “garotos propaganda” de famosas marcas esportivas, fazendo a “ponte” entre marcas e consumidores. Ao ver um atleta tão admirado usando determinada marca, naturalmente os fãs tenderão a aumentar o consumo dos produtos fabricados por ela.

Marketing esportivo nas empresas

Obviamente, no que diz respeito aos campeonatos e competições com grande divulgação e que envolvam atletas famosos, são demandados investimentos milionários.

No entanto, o retorno é garantido, já que as empresas conseguem extraordinários resultados combinando sua marca com atletas ou equipes esportivas bem conceituadas junto ao público.

Exatamente por este motivo, é tão importante para os times de futebol, por exemplo, obterem os melhores resultados possíveis, já que disso depende a continuidade dos patrocínios e valor disponibilizado para o clube.

Para que a estratégia adotada pela empresa seja transformada em bons resultados financeiros, é indispensável que os patrocinadores identifiquem uma modalidade esportiva que esteja de acordo com as preferências de seu público-alvo.

Um bom exemplo disso é a marca Adidas, bastante vinculada aos corredores. Logo, a possibilidade de atingir bons resultados com o patrocínio de grandes estrelas do atletismo é muito maior.

Tipos de patrocínios esportivos

Existem inúmeras coisas que podem ser ensinadas em um curso de marketing esportivo online e que podem ser aplicadas no mercado. Com relação aos tipos de patrocínios esportivos, os principais deles são:

– Patrocínio de atletas:

Este tipo de patrocínio requer um custo muito menor que o de equipes, sendo que diversas modalidades esportivas são individuais, como o caso dos nadadores, por exemplo;

– Patrocínio ao automobilismo:

Empresas dos mais diversos ramos adotam como estratégia vincular suas marcas ao automobilismo. É o caso de empresas que fabricam cigarros, bebidas não alcoólicas e sobretudo distribuidoras de combustível, como por exemplo a Shell e a Petrobrás;

– Patrocínio a equipes:

Um dos exemplos mais clássicos quanto a este tipo de patrocínio são aqueles concedidos aos grandes times de futebol. Essa estratégia é bastante utilizada por grandes empresas, já que o alcance de público é imenso;

– Patrocínio a eventos:

Grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo, Olimpíadas e campeonatos são utilizados como importantes canais de marketing por empresas que desejam fortalecer sua marca.

A imagem do atleta e da equipe interfere no patrocínio

Recentemente, durante as olimpíadas do Rio, foi muito divulgado o caso do nadador norte-americano que desprestigiou o Brasil inventando um assalto para justificar um comportamento inadequado nas ruas.

Assim que a notícia chegou aos EUA, em questão de dias o atleta perdeu quase todos os seus patrocinadores, fazendo com que sua carreira corresse o risco de ser interrompida. Isso deixa clara a importância de o atleta zelar por uma boa imagem diante da sociedade, já que a partir disso é que seu patrocínio será obtido.

O mesmo vale para grandes equipes. Times envolvidos em qualquer espécie de escândalo ou até mesmo que apresentem um desempenho ruim nos principais campeonatos do Brasil e do mundo acabam perdendo patrocinadores e ficando numa situação bem difícil.

Por parte das empresas, é de suma importância que sua marca esteja vinculada à pessoas e equipes bem conceituadas. Do contrário, é prejuízo na certa.

Por todos esses motivos, fica fácil perceber porque o marketing esportivo possui tanta importância, já que por meio dele, é possível impactar uma quantidade enorme de pessoas e fortalecer ainda mais a marca de grandes empresas nacionais e internacionais.

O que é necessário para um departamento de marketing profissional em um clube esportivo

Como é estruturado um departamento de marketing esportivo pelos clubes? Muitas dúvidas envolvem uma questão muito simples no marketing esportivo. E enche de anseios os profissionais que podem trabalhar na área. Mas que infelizmente não conseguem espaço.

Pensar num organograma ideal passa por muitas variáveis. O sonho de trabalhar com esporte, num espaço como o Marketing, inspira muitos jovens talentos espalhados pelo Brasil. Mas hoje não é uma tarefa fácil.

Existe uma estrutura ideal?

Temos que pensar numa estrutura como um todo. Qual a estratégia a ser usada? É bem nítido que a maioria dos clubes esportivos do país não tem um departamento montado. Em geral, as diretorias pensam que é um gasto. Esquecem qual a real função do marketing dentro de uma instituição. E passam então a fazer com que funcionários acumulem funções. É óbvio que é errado. Mas há a objeção de quem toma essa atitude: limite de investimentos.

Então, temos que analisar. A estrutura ”se paga”? Qual o alcance o clube consegue? Reza a lenda que o setor de marketing é o único setor que se paga sozinho. Não é uma mentira, quando pensamos que todo os acordos comerciais fechados são captados por esse setor. Um acordo comercial bem amarrado, significa sucesso para a empresa. No caso, o clube. E com isso, o valor acertado pode ser comemorado.

Organograma da equipe do departamento de marketing

Montar uma equipe requer muita cautela. Comece por quem será o

  • Head. O tradicional VP de Marketing ou Diretor. Desnecessário qualificar como seria o líder das operações. Além de qualidades naturais de um líder que vai chefiar as ações e delegar funções, ser proativo, ter bom relacionamento e criativo é essencial.
  • Gerente de marketing. Geralmente, quando a estrutura da instituição é pequena, as atividades do gerente são assumidas pelo VP ou diretor. Quando exigido em função, o gerente é responsável por garantir que o planejamento está sendo executado e que as ações estão em dia com a estratégia. Gerir ações e as pessoas do setor, dando feedback necessário para todos que estejam envolvidos.
  • Analista de Marketing. Os cuidados com o resultado em ações de marketing devem ser levados a sério. O Analista, em geral, envolve-se com ações de inteligência.
  • Auxiliar de Marketing e estagiário. Funções parecidas, cargos diferentes. O estagiário ainda está em formação profissional. Mas em ambos os casos, são pessoas responsáveis por atuarem no campo de atuação. Vale lembrar que estão agindo em ativações, em contato com o torcedor e partir para ações imediatas mais simples, mas importantes determinadas pelo

Marketing e comercial se misturam

Alguns conhecimentos no marketing esportivo são essenciais. Podemos listar como itens importantes para um setor: comercial, captação de patrocínio, licenciamento, publicidade/propaganda, comunicação. Para um trabalho bem desenvolvido, deve ser incluído aí métricas. Objetivos Smart: especifico, mensurável, atingível, relevante e temporal.

Fonte: Ataque Marketing

17 Livros sobre Marketing Esportivo:

#1 – Marketing Futebol Clube

O livro, escrito pelo grande Luiz Claudio Zenone, traz o marketing como ferramenta estratégica para a Indústria do Futebol, apresentando o próprio como equipamento mercadológico para as empresas. Nele você encontrará capítulos sobre desafios do marketing no futebol, como as empresas podem se aproveitar desse esporte e muito mais.

#2 – Marketing Esportivo

O livro, dividido em 4 partes, aborda, de forma inovadora, o contexto de esportes para aplicação do marketing sob uma perspectiva estratégica e apresentando aspectos sociais do esporte.

#3 – Marketing Esportivo – A Reinvenção do Esporte na Busca de Torcedores

3 caras resolvem bater de frente com uma velha política dentro das empresas: quando a crise chega, sempre sobra para o marketing. Os autores tentam mostrar por A + B o quanto é importante investir quando se está com dificuldades.

#4 – O Desafio de Ser Diferente – Uma Visão Ampla do Marketing Esportivo

Com o objetivo de incentivar a discussão sobre a importância de ter um posicionamento claro no mercado, Idel Halfen apresenta paralelos entre o mercado corporativo e o esportivo, trazendo a opinião de diversas personalidades dos dois ambientes afim de gerar um reflexão aqueles que trabalham ou queiram trabalhar com gestão esportiva.

#5 – Marketing e Gestão do Esporte

Este livro retrata algo que é do conhecimento de todos, como a falta de profissionalismo daqueles que gerenciam o esporte no Brasil, porém ele vai além do senso comum e busca discutir a integração das funções administrativas de uma organização esportiva com a abordagem estratégica na gestão da empresa.

#6 – Uma Bela Jogada – 20 Anos de Marketing Esportivo

Para entender o presente e tentar planejar o futuro é preciso conhecer o passado e nada melhor do que o livro escrito por João Henrique Areias para ajudar nessa etapa.

#7 – A Bola Não Entra Por Acaso

O meu preferido.

Não trata-se apenas de marketing esportivo, mas, principalmente, de gestão esportiva.

De fácil leitura, o livro serve tanto para quem está iniciando na profissão, como também para quem já está nela há algum tempo.

Ferran Soriano, autor desse livro, é também atual CEO do Manchester City e ex-vice presidente do Barcelona FC. Ele traz diversos momentos, ocasiões e problemas enfrentados na época em que “assumiu” o time catalão. Mostrando detalhes na escolha de treinadores, jogadores, como eram feitas as negociações de contratos, as melhorias nas estruturas e, principalmente, como a gestão ao qual fazia parte, conseguiu elevar o volume de receita gerado pelo Barcelona, voltando a se colocar no bloco dos clubes mais ricos do mundo

#8 – Como Desenvolver Planos de Marketing Esportivo de Sucesso

Com uso de exemplos reias e planos de marketing, o livro mostra como estruturar um plano que funcione neste mercado. Válido para profissionais e estudantes.

#9 – Futebol S/A – A Economia em Campo

Para nós do marketing esportivo não há como enxergar o jogo é não pensar nos bastidores e nos negócios e este livro é ideal para entendermos ainda mais o poder que a mídia exerce sobre os esportes como um todo.

#10 – Zeros À Direita – Marketing & Mídia no Esporte

Um livro voltado a investigar porquê o esporte atrai tantos investimentos, apresentando números e estatísticas afim de mostrar o quão lucrativo o esporte pode ser se trabalhado de forma profissional.

#11 – Marketing Esportivo e Administração de Arenas

Abordando conceitos, técnicas e exemplos concretos a fim de ajudar quem já está na área, este livro foca, principalmente, na administração de arenas esportivas e como trabalhá-las aliadas ao marketing. O Marketing Esportivo e Administração de Arenas é voltado para administradores de clubes, academias, federações, profissionais de marketing esportivo e muito mais.

#12 – Gestão de Marcas No Esporte

Temas como marketing institucional e empresarial, marca dos clubes, produtos, entre outras coisas, o conteúdo deste livro ajuda a nos entender um pouco mais a fundo como gerenciar marcas no mundo cada vez mais competitivo.

#13 – O Evento Esportivo Como Objeto de Marketing

Cada vez mais os eventos esportivos impactam mais e mais pessoas e claro que eles passaram a possuir mais atenção e apoio das empresas e marcas que vêem neles, grandes oportunidades de investimento e retorno. O livro é destinado as áreas de marketing e da educação física.

#14 – Esporte Negócio

Escancarando o mau funcionamento da engrenagem por trás do esporte, o Esporte Negócio nos abre a mente e mostra caminhos e soluções possíveis para tais problemas já sabidos por todos nós do meio.

#15 – Marketing Esportivo: O Esporte Como Ferramenta do Marketing Moderno

Numa equação envolvendo os fracassos e sucessos da história do Marketing Esportivo, o autor deste livro traça um perfil detalhado dos espectadores que o esporte envolve, construindo um verdadeiro almanaque.

#16 – Plataforma de Negócios do Esporte. A Gestão do Esporte Orientada Para o Mercado

Alinhado às novas demandas do mercado esportivo, o livro propõe a reflexão e debate sobre a gestão coordenada de diversas áreas (esportiva, comercial, marketing e financeira) com objetivo de implementar negócios sólidos e rentáveis. De maneira a unir a teoria mais a prática, esse material é voltado para aqueles que estão envolvidos no universo esportivo, na parte de entretenimento e negócios, seja de maneira direta ou indiretamente.

#17 – Como Conseguir Patrocínio Esportivo. Um Plano Para o Sucesso no Marketing Esportivo

Na busca por convencer investidores do grande negócio que é o Esporte e mostrar o quanto os patrocinadores são fundamentais para atletas, entidades esportivas e eventos no ramo, o livro traz, de forma bastante interessante, uma reflexão sobre as mudanças nos paradigmas relacionados ao Marketing Esportivo.

ENTREVISTA – TEMA: MARKETING ESPORTIVO

  • Nome: Marcos Farber;Marcos Farber
  • Profissão: Diretor Executivo da Farber Marketing Esportivo;
  • Idade: 52 anos – 2018;
  • Formação:
    • Bacharel em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP);
    • Pós graduado em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM/SP);
    • Pós Graduado em Marketing Esportivo pela Universidade Estácio de Sá;
    • Mestrado em Gestão Esportiva na USP – Início 2019;
    • Coach Esportivo formado pela Academia Panamericana de Coaching;
    • Ex Diretor Executivo da Afif Sport Business, consultoria em gestão e marketing do Esporte;
    • Membro do Grupo de Excelência em Administração Esportiva (GEAE) no Conselho regional de Administração – São Paulo;
    • Membro da Abragesp (Associação Brasileira da Gestão do Esporte), membro do Grupo de Excelência no Esporte do Conselho Regional de Administração (CRA/SP);
    • Palestrante em diversas instituições entre elas: Iaepetel – Londrina, Puc/ SP, The360, Salinas EAD , Uninassau Nordeste, Unip S.Paulo;
    • Atualmente, Sócio Diretor da Farber Marketing Esportivo;
    • Colunista do grupo Marketing Futebol Business no Facebook;
    • Membro Fundador do GEAP ( Grupo de Excelência em Ativações de Patrocínio);
    • Comentarista de Marketing Esportivo na WebRádio Poliesportiva;
    • Trabalhos realizados em alguns clubes de futebol entre eles: Programa Avanti (Palmeiras ), Baraúnas –Mossoró RN, Londrina EC, Caldense MG, Paranavaí do PR, Capital CF de Brasília;
    • Coach esportivo de alguns atletas Paralímpicos entre eles Mateus Evangelista do Atletismo.

1º Pergunta

Trivela na Rede:

Em que momento o Marketing Esportivo entrou na sua vida? Foi uma escolha ou oportunidade do momento?

Marcos Farber:

Olá pessoal, incialmente é um prazer escrever para o trivela na rede. Bom, minha vida profissional sempre foi direcionada para a área de marketing em empresas multinacionais, bancos, entre outras. Mas no fundo, tinha sempre a vontade de atuar com marketing esportivo. Em 2014, conheci um dos pioneiros da gestão esportiva no Brasil (Antonio Afif), que me incentivou a entrar neste mundo fascinante do marketing esportivo e juntos montamos uma consultoria em marketing esportivo onde atuamos juntos até 2016. De lá para cá venho me especializando na área com cursos, pós-graduações e em breve mestrado na área além do networking que é fundamental

Hoje sou sócio diretor da Farber Marketing Esportivo, um sonho que virou realidade.

2º Pergunta

 Trivela na Rede:

Culturalmente, os empresários valorizam os projetos com investimentos baixos e retornos tangíveis a curto prazo. Como um profissional do Marketing deve lidar com essa situação ao assumir uma “gestão” antiquada?

Marcos Farber:

Esta gestão antiquada está com seus dias contados, a não ser que os próprios gestores querem que seu time desapareça do mercado. Os gestores bem como os clubes começam a visualizar as ferramentas de marketing necessárias para se fortalecer a marca e ter um retorno financeiro adequado. Nos projetos atuais encontram se as ativações de patrocínio, ações de matchday, patrocínios pontuais entre outros que tangibilizam os resultados e fidelizam os consumidores/torcedores.

3º Pergunta

Trivela na Rede:

No período da Copa do Mundo, os clubes brasileiros acabam lucrando menos, e as despesas continuam altas. Como driblar esse período, utilizando as ferramentas de Marketing Esportivo? Principalmente, se o clube em questão, não tiver nenhum jogador convocado para potencializar uma propaganda?

Marcos Farber:

Os clubes fazem ou deveriam fazer uso das ferramentas do marketing esportivo entre elas ações em clubes esportivos, shopping, ou seja, lugares de grande concentração para gerar lucro aos clubes. Um exemplo prático, participei em 08-07 no Allianz Parque no Palmeiras com uma ação chamada de dia de craque, onde pessoas compraram um pacote para vivenciar o dia de um jogador, vestindo uniforme, entrando em campo, jogando no estádio etc. Isto gerou renda extra para o clube, inclusive com lojas de produtor oficiais (camisetas, canecas, fotos do evento, etc). Isto aproxima o torcedor do clube e gera muita renda nestes tempos onde não está se disputando campeonatos exceto Copa do Mundo.

4º Pergunta

Trivela na Rede: 

Analisando o mercado do Marketing, com ênfase no futebol, podemos classificar que o seu ramo de negócio está em um oceano vermelho, com muitos tubarões (concorrentes).

Que conselho você daria, para aqueles que estão começando? Ainda têm espaço ou está saturado?

Fica o convite, para ler o livro A Estratégia do Oceano Azul de W. Chan Kim e Renée Mauborgne.

Marcos Farber:

Eu digo nas minhas palestras de marketing esportivo que ministro em faculdades e escolas de todo país que o sol nasce para todos: Há muitas oportunidades no mercado. Devemos lembrar que marketing esportivo não se resume a futebol. Outros esportes por menores que sejam as oportunidades estão aí na mídia principalmente com eventos realizados e a serem realizados (Olimpíadas e Paraolimpíadas). A minha Consultoria por exemplo, atua com projetos no voleiball, basquete, esportes no gelo, e também com a ferramenta atual que traça objetivos e alcance de metas dos atletas: Coaching.   Outro fator importante: Networking e busca de conhecimentos é fundamental para o desenvolvimento em qualquer área de atuação.

5º Pergunta

Trivela na Rede:

As questões políticas e econômicas do nosso País, contribuem negativamente para o crescimento e amadurecimento do Marketing Esportivo brasileiro?

Marcos Farber:

Com certeza contribuem. Mais recentemente vimos a MP que reduz a verba para o esporte e isto afetará os investimentos tanto estatais como privados no marketing esportivo.

Aliado a isto, a recessão, crise política e econômica impedem que as empresas destinem parte do seu budget para investimentos no esporte.

6º Pergunta

Trivela na Rede: 

Na sua opinião, por que os clubes brasileiros insistem em ignorar o mercado financeiro?

O Flamengo poderia emitir debêntures. O Corinthians teria como virar sócio da Nike. Emitir ações na BM&FBovespa seria possível. Mas os times continuam a ignorar a sociedade anônima, estrutura que até Pelé falhou em implementar 20 anos atrás.

Marcos Farber:

Os clubes são engessados quando se falam em gestão profissional. Na minha opinião o amadorismo prevalece nas questões do marketing esportivo. A solução no meu ver seria de transformar os clubes em clubes -empresas. Ter colaboradores remunerados, ações na bolsa entre outros aspectos seriam de grande valia para os clubes já que estamos num mundo globalizado.

7º Pergunta 

Trivela na Rede: 

Sabemos que o esporte norte-americano conta com três grandes ligas: NFL, MLB e NBA.

Hoje, é difícil que um americano aponte uma predileção quando questionado.

Aqui no Brasil, o Futebol (Masculino) reina absoluto a gerações! Como mudar esse cenário?

Marcos Farber:

Muito fácil. Basta encarar o futebol e outros esportes como um espetáculo, um entretenimento. Nos esportes acima citados (NFL, MLB, NBA) os eventos esportivos são programados com muita antecedência e tem um rigoroso calendário fazendo com que haja uma programação dos consumidores. Produtos licenciados são produzidos em alta escala fazendo com que o ticket médio de cada torcedor aumente para delírio dos organizadores e dirigentes dos clubes.

8º Pergunta

Trivela na Rede: 

A NFL, MLB e NBA trabalham em sistema de franquia com os clubes, com regras claras sobre direitos de transmissão que são distribuídos igualmente por todas as equipes. Isto é. O primeiro colocado recebe o mesmo valor que o último colocado. Mesmo sendo uma visão simplista, esse seria o caminho para aumentar a competitividade dos nossos Campeonatos e melhorar a imagem dos clubes no mercado financeiro e no Exterior?

Marcos Farber:

A ideia de franquias de clubes seria interessante a partir do momento que haja uma conscientização destes clubes em termos de parceria entre os mesmos. Ou seja, o benefício seria para todos em prol da valorização do esporte. Assim, a competitividade será mais aguçada e na minha opinião atrairá um leque maior de torcedores.

9º Pergunta 

Trivela na Rede:

Cite o nome de uma referência profissional na sua vida. Explique sua escolha.

Marcos Farber:

Confesso que um nome só seria difícil.

Aqui vão alguns:

  • Antonio Afif;
  • Professor, Luiz Claudio Zenone (Coordenador de MBA da Puc SP);
  • Professor, Jeferson do Valle.

10º Pergunta

Trivela na Rede:

Deixe registrado aqui, todos os endereços dos canais do seu trabalho! Twitter, Facebook, YouTube, Instagram, Site e etc.

Marcos Farber: 

Marcos Farber em AÇÃO!

IMG_7069

Marcos Farber no Allianz Parque no Palmeiras: “Uma ação chamada de dia de craque, onde pessoas compraram um pacote para vivenciar o dia de um jogador, vestindo uniforme, entrando em campo, jogando no estádio etc. Isto gerou renda extra para o clube, inclusive com lojas de produtor oficiais (camisetas, canecas, fotos do evento, etc). Isto aproxima o torcedor do clube e gera muita renda nestes tempos onde não está se disputando campeonatos exceto Copa do Mundo.”, por Marcos Farber.

Traço

  • Nome: José Abrão Filho; José Abrão Filho 1
  • Profissão: Diretor de Marketing do E.C. São Bento;
  • Idade: 40 anos – 2018;
  • Formação:
    • Bacharel em Administração de Empresas pela PUC (PUC/SP);
    • MBA Gestão Empreendedora de Negócios – ESAMC (Sorocaba/SP).

 

1º Pergunta

Trivela na Rede:

Em que momento o Marketing Esportivo entrou na sua vida? Foi uma escolha ou oportunidade do momento?

E, conte-nos como foi a sua trajetória até chegar a Diretoria de Marketing do E.C. São Bento.

José Abrão Filho:

Fui convidado pelo Dr. Márcio Dias para participar da chapa que ele estava montando para comandar o São Bento de 2017 a 2020. De acordo com o estatuto do clube, não há o cargo oficial de diretor de marketing. Meu cargo estatutário na diretoria é de Secretário Geral. No início da gestão do Dr Márcio ele me pediu para administrar o marketing do clube, ao lado do Vice Presidente Almir Laurindo. Então ficou definida a criação do cargo de Diretor de Marketing. Sempre trabalhei com comunicação, em agências por alguns anos e principalmente em veículo de comunicação, por essa razão o Dr Marcio me fez esse pedido. Hoje no clube todas as questões de Marketing são divididas entre mim e o Almir.

2º Pergunta

 Trivela na Rede:

Como é o dia a dia da equipe de Marketing em um clube de futebol? Os deveres e as obrigações podem sofrer mudanças dependendo da estrutura do clube?

O setor de Marketing no E.C. São Bento é terceirizado ou existe um departamento com Head (VP), Gerente, Analista e Auxiliar?

José Abrão Filho:

No São Bento temos uma diretoria composta por voluntários e algumas pessoas que trabalham no dia a dia de forma remunerada. Nossa diretoria é pequena (quantidade de pessoas) e há muito trabalho a ser feito. Eu e o Almir estamos desenvolvendo o trabalho de marketing dentro do São Bento, porém estamos no início do trabalho, aos poucos estamos estruturando dentro do que o orçamento do clube nos permite. Temos uma jornalista que faz a assessoria de imprensa e temos um contrato com uma produtora terceirizada para o desenvolvimento da Bento TV. A medida em que os projetos são executados e trazem frutos, as responsabilidades aumentam. Esse ano começamos a trabalhar com alguns produtos licenciados, copos, canecas, quadros, bobinas para cupom fiscal e mais alguns produtos. Temos que fazer o acompanhamento, desde o desenvolvimento até a venda dos produtos.

No caso da Bento TV, conseguimos entrar na grade de programação dos canais Premiere, da Globosat, exibimos programas de 15 minutos quinzenalmente.

Hoje nossa estrutura é muito pequena em relação ao que seria necessário, mas demos o ponta pé inicial. Contamos com o apoio de muitos parceiros, como a Agência OX e também a Santoro, dessa forma aos poucos estamos atingindo nossos objetivos.

3º Pergunta

Trivela na Rede:

Culturalmente, os empresários valorizam os projetos com investimentos baixos e retornos tangíveis a curto prazo. Como um profissional do Marketing deve lidar com essa situação ao assumir esse tipo “gestão”?

José Abrão Filho:

Essa questão é natural e devemos trabalhar de forma a conseguir atingir as metas estipuladas pelo clube. Para não ficarmos no achismo e podermos levar a conversa para o nível técnico, o São Bento contratou estudo do Instituto IBOPE para fazer a medição e valoração da exposição dos patrocinadores do São Bento na mídia. Isso nos permite apresentar resultados para o cliente, de forma que ele possa tornar o retorno tangível.

4º Pergunta

Trivela na Rede: 

Como colocar em prática as estratégias e ferramentas de Marketing dentro de um clube da série A2, A3… tais como: Sócio torcedor, eventos promocionais, ativação de marca e patrocínio, levando em consideração o orçamento enxuto?

Podemos até fazer uma comparação com os clubes da elite do futebol Nacional, que realizam seus trabalhos de Marketing de forma tão homérica.

José Abrão Filho:

O orçamento sempre é enxuto, independente do tamanho do clube ou da torcida. O foco de investimento é sempre em atletas, isso é natural. Porém, independente do tamanho do clube, uma coisa é sempre igual, a paixão do torcedor. A paixão do torcedor do Real Madrid, do Sampaio Corrêa ou do São Bento é do mesmo tamanho. O Torcedor quer sempre o melhor para seu time, se ele tiver a oportunidade, ele vai colaborar. É importante o clube estar atento a todas as formas de contribuir e também a todos os níveis sociais de torcedores.

5º Pergunta

Trivela na Rede:

Analisando o mercado do Marketing, com ênfase no futebol, podemos classificar que o seu ramo de negócio está em um oceano vermelho, com muitos tubarões (concorrentes).

Que conselho você daria, para aqueles que estão começando? Ainda têm espaço ou está saturado?

Fica o convite, para ler o livro A Estratégia do Oceano Azul de W. Chan Kim e Renée Mauborgne.

José Abrão Filho:

Minha atuação na área esportiva ainda é nova, porém não vejo muita diferença em relação ao mercado tradicional. O apoiador quer exposição, o clube entrega a exposição, então o processo flui. Concorrente temos em todos os setores, claro que damos sempre ênfase no setor em que atuamos porque nós sentimos a concorrência diretamente, mas isso tem em todas as áreas. Um item fundamental é a credibilidade, em qualquer setor, ainda mais no futebol, quando se envolve paixão.

6º Pergunta

Trivela na Rede: 

  1. Terceirização x Departamentalização;
  2. Networking x Profissionalização;
  3. A lei 522/2013.

São questões que pesam para os jovens (e adultos) anônimos no futebol e recém-formados, que buscam oportunidades para entrar no mercado do futebol.

Alguns clubes da elite do futebol Nacional, estão “regularizando” e transformando o clube em uma Empresa! A alta direção passa a ter salário e direitos trabalhistas. Mas, mesmo assim, a maioria dos profissionais são estagiários ou temporários, quase uma filantropia ou tudo pelo amor ao clube.

Esse cenário poderia servir de espelho para refletir a péssima situação financeira que muitos clubes enfrentam? Ou em partes?

José Abrão Filho:

A gestão de um clube de futebol é muito complexa. Não acredito que os casos de má gestão sejam ocasionados pela forma de contratação. Acredito que seja muito mais em função de planejamento. Transformar o clube em empresa gera uma série de compromissos, o que traz credibilidade. Existem outras formas de trazer credibilidade. Como transformar um clube centenário em empresa? Não é simples. Porém, podemos trabalhar com regras rígidas de gestão para que tenhamos credibilidade. A própria CBF tem trabalhado nesse sentido, estimulando e forçando os clubes a buscarem a profissionalização. A questão de trabalhar com terceirizados ou estagiários depende muito da situação e da necessidade de cada empresa ou clube, não vejo como regra do setor.

7º Pergunta 

Trivela na Rede: 

As renuncias, abrir mão de algumas condições, mudar de cidade, ficar longe da família por alguns dias, semanas e até meses! São situações que um profissional que deseja seguir carreira na Gestão Esportiva e, em outras áreas do esporte, precisa estar preparado. Com você talvez não tenha sido diferente.

Como foi esse momento? Qual o conselho você nos daria?

José Abrão Filho:

Essa questão é essencial para quem quer trabalhar nesse segmento. Eu não costumo viajar com o clube, minha atuação é mais estratégica e local, porém temos no nosso grupo pessoas que precisam estar presentes em todos os jogos. Para isso, certamente teremos momentos de viagens, de distância, mas é normal para esse tipo de trabalho. O importante é buscar fazer aquilo que gosta, pois com o profissional feliz, a família que fica em casa estará feliz.

8º Pergunta

Trivela na Rede: 

As questões políticas e econômicas do nosso País, contribuem negativamente para o crescimento e amadurecimento do Marketing Esportivo Brasileiro?

José Abrão Filho:

Com certeza. Principalmente a crise econômica. É uma conta matemática. As empresas destinam parte do faturamento para cada setor, inclusive para o Marketing. Com a queda de faturamento, cai o orçamento de marketing nas empresas, certamente teremos um cenário mais difícil, cabe a nós sermos cada vez mais técnicos e criativos.

9º Pergunta 

Trivela na Rede:

Alguns clubes do interior, sofrem com a falta de um aporte financeiro de respeito, precisam praticar em alto nível um futebol sem dinheiro, as vezes com instalações abaixo do desejável, precisam contratar jogadores a “custo zero”, e como se não bastasse, manter a regularidade para permanecer ou até conquistar o tão sonhado acesso.

O aparelho desfibrilador neste caso é a Copa Paulista, pelas receitas e a vitrine que gera.

A falta de calendário, receitas baixas, custos elevados, a cobrança da torcida que não levam em consideração essas dificuldades?! Sem mencionar as discrepâncias dos clubes da A1!

Como administrar todas essas dificuldades? Existe uma “fórmula” mágica?

José Abrão Filho:

Não existe fórmula mágica. O que podemos fazer é planejar conforme nossas possibilidades e trabalhar com o que temos. Não podemos lamentar as discrepâncias. A grande maioria dos clubes do interior possuem realidades semelhantes.

10º Pergunta

Trivela na Rede:

Na sua opinião, por que os clubes brasileiros insistem em ignorar o mercado financeiro?

O Flamengo poderia emitir debêntures. O Corinthians teria como virar sócio da Nike. Emitir ações na BM&FBovespa seria possível. Mas os times continuam a ignorar a sociedade anônima, estrutura que até Pelé falhou em implementar 20 anos atrás.

José Abrão Filho: 

A maioria dos times de futebol tradicionais do Brasil é formada por clubes e associações. Seria necessário que os clubes se tornassem empresas, mas não é simples, isso depende de muita coisa, não simplesmente da vontade de um ou outro dirigente. O torcedor brasileiro quer que o time tenha sucesso, mas não que tenha um dono, é cultural.

11º Pergunta

Trivela na Rede:

A NFL, MLB e NBA trabalham em sistema de franquia com os clubes, com regras claras sobre direitos de transmissão que são distribuídos igualmente por todas as equipes. Isto é. O primeiro colocado recebe o mesmo valor que o último colocado. Mesmo sendo uma visão simplista, esse seria o caminho para aumentar a competitividade dos nossos campeonatos e melhorar a imagem dos clubes no mercado financeiro e no exterior?

José Abrão Filho: 

Veja, temos uma grande diferença que muda tudo. As competições que você citou são gerenciadas pelos clubes, por isso trabalham nesse sistema. Aqui temos as federações e a CBF que gerenciam as competições. No campeonato paulista, tirando os quatro grandes, as cotas são similares. Na Série B as cotas foram distribuídas de maneira igual entre todos os clubes, apenas Coritiba e Goiás, que já possuíam contrato com a Rede Globo, receberam valores diferentes. Quanto mais equilibrada a divisão de recursos, melhor para a competição. Porém esse é apenas um ponto na busca pela melhor imagem.

Existe outras fontes de recursos que são importantes e discrepantes entre os clubes, como por exemplo bilheteria. No São Bento temos muitos jogos em que a renda líquida do jogo é negativa, por outro lado o Fortaleza costuma ter renda líquida de cerca de 300 mil reais; com 19 jogos em casa, a diferença é praticamente a cota da CBF por clube para a série B.

12º Pergunta

Trivela na Rede:

Cite o nome de uma referência profissional na sua vida. Explique sua escolha.

José Abrão Filho: 

Meu pai, sem dúvida. Com ele aprendi a ser honesto e justo, aprendi que dialogar é mais importante do que brigar, aprendi a respeitar as pessoas, aprendi que nem sempre vamos acertar e a colocar a família em primeiro lugar.

13º Pergunta

Trivela na Rede:

Deixe registrado aqui, todos os endereços dos canais do seu trabalho! Twitter, Facebook, YouTube, Instagram, Site e etc.

José Abrão Filho: 

You’ll Never Walk Alone

Um comentário em “Marketing Esportivo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.