Caso raro: Atacante Mazola jogou nos três principais países da Ásia

mazola
Foto: Arquivo Pessoal | Mazola

Revelado pelo São Paulo e com passagens por Guarani, Figueirense, Ceará, CRB, Portimonense (Portugal) e recentemente São Bento, o atacante Mazola fez boa parte da carreira fora do país, principalmente na Ásia, onde atuou no Japão, China e Coreia.

A passagem por esses três países fez com que o atleta acumulasse muitas histórias. Seu primeiro clube na Ásia foi o Urawa Reds, equipe onde atuou em 2011.

“Dos três países que joguei o Japão é o mais desenvolvido no futebol. Uma partida reúne cerca de 35 mil pessoas no estádio. O time tem os patrocinadores de roupa e carro e quando o atleta chega na equipe pode escolher ser ou não patrocinado por essas marcas”, contou Mazola.

Depois do Japão se transferiu para a China, onde atuou no Hangzhou Greentown e Guizhou Zicheng. Na época o mercado chinês ainda não era tão atrativo como hoje.
“Quando cheguei na China só tinha o Conca e o Muriqui. Depois contrataram o Drogba e o Anelka e então o futebol começou a ter mais visibilidade”.

“No primeiro ano foi mais fácil, pois eu tinha a companhia de mais dois atletas brasileiros. Já no segundo ano eles não voltaram para os clubes e foi mais difícil. Precisava da companhia de dois intérpretes, pois o treinador era japonês”.
O jogador falou ainda sobre a relação da população com o futebol que vem crescendo muito.

“Antes não tinha tanta torcida, hoje pelos valores e pelos atletas que estão lá o futebol passou a ficar mais atrativo. A China do meu primeiro ano e a de agora é completamente diferente”.

A principal dificuldade era a alimentação. Inclusive antes de uma partida a equipe ofereceu sopa de tartaruga para os jogadores.

“Você não sabe que tipo de carne está comendo. É tudo com muito molho. Eles comem cobra, carne de cachorro, cérebro e intestino dos animais”.

“Antes do jogo eles serviram sopa de tartaruga. Meu intérprete explicou que teve um time que tinha tomado a sopa e perdeu de 5, mas que fazia muito bem para a imunidade. Eu me recusei a tomar (risos)”, disse.

A última equipe que defendeu na Ásia foi o Jeonbuk Motors da Coreia do Sul, país onde aprendeu até a se comunicar.

“A alimentação também era complicada. Uma vez por semana os jogadores iam em um restaurante comer carne de cachorro. Foi o lugar onde consegui me virar melhor.

Aprendi a falar a língua e dava até para sair sozinho algumas vezes”, finalizou.

De volta ao Brasil, Mazola defendeu o São Bento no Campeonato Paulista deste ano. Atualmente negocia com uma outra equipe e deve ser apresentado após a Copa América.

Fonte: Carol Teberga

You’ll never walk alone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.