Árbitro de Futebol – Diego Pombo

diego_pombo

  • Nome: Diego Pombo Lopez (Diego Pombo);botão arbitro de futebol2
  • Profissão: Árbitro de Futebol Profissional.

Iniciou sua carreira em 2003, aos 16 anos, e o primeiro jogo que apitou foi a partida entre Poções e Itabuna, pelo Campeonato Baiano de Futebol de 2008. No ano de 2009, ingressou no quadro da CBF e, em 2010, estreou na Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol, apitando o jogo entre a Ponte Preta e o ASA de Arapiraca.

Em 2011, recebeu o prêmio de Árbitro Revelação do Campeonato Baiano e foi indicado ao prêmio de Melhor Árbitro. No mesmo ano, pela primeira vez, apitou um jogo pela Série A, que foi o confronto entre Figueirense e Grêmio.

1º Pergunta

Trivela na Rede:

Não é uma regra, mas, normalmente, os jovens que gostam e praticam futebol sonham em seguir com a carreira de jogador profissional. Quais foram as suas influências (na época com 16 anos de idade), que despertou o interesse na arbitragem de futebol?

Diego Pombo:

Sempre gostei de futebol mas nunca tive talento para ser jogador. Despertei interesse na arbitragem aos 16 anos com a influência de um grande amigo e que era árbitro na época Lourival Dias Lima Filho (falecido em acidente de carro em 2009) e também do assistente Fifa da bahia Alessandro Matos, pois morávamos na época no mesmo condomínio.

2º Pergunta

Trivela na Rede:

Quais são os cursos, certificações e licenças consideradas obrigatórias pelas Federações, CBF e FIFA que um arbitro que almeja se profissionalizar precisa para apitar partidas oficiais? (Considerando campeonatos estaduais, nacional, continentais e até mesmo a Copa do Mundo)

Diego Pombo:

É necessário realizar um curso de formação de árbitro de futebol na federação estadual que tem em média 360h de carga horária.
Para ingressar no quadro da CBF é necessário estar cursando superior ou formado, não tem necessidade de ser Educação Física.

3º Pergunta

Trivela na Rede:

Além dos cursos e graduações, os árbitros precisam abrir uma empresa (PJ) e muito provavelmente ter uma outra fonte de renda? Essa situação comina diretamente para a desaceleração na especialização da própria função?

Diego Pombo:

Não existe nenhuma exigência para que o árbitro seja PJ ou abra alguma empresa. O árbitro deve ter outra fonte de renda até para ter sua estabilidade e não depende financeiramente da arbitragem, pois o árbitro recebe de acordo com o jogo que trabalha.

4º Pergunta

Trivela na Rede:

Foram adotadas medidas para a falta de punição ou multa para o clube que deixe de pagar a taxa de arbitragem? Pois é sabido que a equipe de arbitragem banca todas as despesas decorrentes de ir até os estádios, para depois serem reembolsados pelos clubes.

Diego Pombo:

As entidades organizadoras das competições se responsabilizam pelo pagamento dos árbitros, nenhum fica desamparado.

5º Pergunta

Trivela na Rede:

Como você avalia a gestão dos órgãos competentes que regem a sua profissão de arbitro de futebol? Além da questão máxima de não ser regulamentada no Brasil, existe outro ponto que precisa ser, na sua opinião, avaliado e/ou considerado?

Diego Pombo:

Tanto as federações como a CBF fazem grandes e constantes investimentos nos seus árbitros com cursos, atualizações e todo amparo possível. Referente a regulamentação é um assunto amplamente discutido entre as entidades e os responsáveis.

6º Pergunta

Trivela na Rede:

Existe algum suporte para os árbitros profissionais que são federados e/ou que estão no quadro da CBF em relação aos treinamentos (espaço para treinos com profissionais capacitados), acompanhamento médico, psicológico e/ou com nutricionistas? Existe algum sindicato que os ampara?

Diego Pombo:

As federações e a CBF dispõem de profissionais altamente capacitados da área psicológica com reuniões online , física com orientações de treinamentos específicos, técnica com orientações e estudos de vídeos, e social com suporte financeiro antecipando taxas de jogos durante esse processo de pandemia e paralização dos jogos. Temos também orientações constantes e treinamentos contínuos.

7º Pergunta

Trivela na Rede:

O ano de 2004 foi e continua sendo considerado por muitos como o ano da zebra! Nesse ano tão peculiar, tivemos o Santo André como campeão da Copa do Brasil; O Porto campeão da Champions League; A Seleção da Grécia na Eurocopa; Once Caldas campeão da Libertadores; São Caetano campeão Paulista; Valência campeão Espanhol e da Copa UEFA; Weder Bremen campeão Alemão e da Copa da Alemanha; Zaragoza campeão da Copa do Rei; e Middlesbrough campeão da Liga Inglesa. Enfim, essa magia do futebol, que as vezes vai na contramão do favoritismo ou da lógica surpreende a cada ano. Na sua opinião, considerando as novas técnicas e táticas de jogo, treinamentos, cursos, atrelado a paixão do torcedor o futebol evoluiu ou regrediu?

Diego Pombo:

No meu ver o futebol tá sempre e em constante evolução.

8º Pergunta

Trivela na Rede:

Como você avalia a entrada da tecnologia no futebol? Sistema para validar a entrada da bola no gol; o VAR; os equipamentos para comunicação (cada vez mais sofisticados); aparelhos de GPS; e etc. A questão do futebol raiz dentro e fora de campo irá resistir a tantas regras e objeções?

Diego Pombo:

Sem nenhuma dúvida a tecnologia que chega ao futebol só enriquece o esporte, proporciona justiça ao resultado e legitimidade. A humanidade evoluiu com a chegada da tecnologia e com o futebol não é diferente. O futebol raiz nunca deixará de existir, pois é isso que faz do futebol a paixão que é.

9º Pergunta

Trivela na Rede:

Qual a dica e/ou orientação que você quer deixar para aqueles que desejam tornar-se árbitros de futebol profissional?

Diego Pombo:

Amar a atividade, vibrar com cada oportunidade de exercer a arbitragem, ter na veia a paixão, ser íntegro, honesto e digno de tamanha responsabilidade que a arbitragem exige.

Uma goelada de informação – Trivela na Rede